Conta Loios

as escolas

Microcredenciais pretendem reforçar aprendizagem ao longo da vida
Politécnico de Setúbal arranca com cursos breves nas áreas da Saúde e Competências Digitais

Microcredenciais pretendem reforçar aprendizagem ao longo da vida<br />
Politécnico de Setúbal arranca com cursos breves nas áreas da Saúde e Competências Digitais O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) vai arrancar, até ao final de 2022, com 15 cursos breves conferentes de certificado denominado de microcredencial, inaugurando assim uma modalidade de formação certificada considerada estratégica pelas instituições europeias, como forma de reforçar a aprendizagem ao longo da vida.

Nesta fase, no quadro do apoio financeiro disponibilizado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a instituição aposta em ofertas formativas em vários domínios da Saúde e em Tecnologias de Informação para a Contabilidade, prevendo alargar, ao longo do ano letivo, às áreas da Engenharia e Tecnologia, Ciências Sociais, Educação e Desporto, como resposta às necessidades identificadas, ou que o possam vir a ser, pelos parceiros da sociedade.

Segundo a presidente do IPS, Ângela Lemos, esta nova oferta formativa “sustenta-se na resposta às dinâmicas e às necessidades regionais, decorrente da atual e contínua transformação do mercado de trabalho”, e permite ir ao encontro, “quer dos novos perfis de estudantes, na sua maioria adultos, potenciando a formação ao longo da vida, quer das empresas e organizações, em forte articulação com as ordens e associações profissionais e empresariais”.

Estas formações poderão ser ministradas em regime presencial, online ou num formato misto, traduzindo-se em créditos que estão alinhados com o Sistema Europeu de Transferência e Acumulação de Créditos (ECTS). Encaradas pela Comissão Europeia como uma prioridade, nomeadamente no quadro da Agenda Europeia de Competências, as microcredenciais surgem como oportunidades de certificação reconhecida de aprendizagens flexíveis, que permitem a frequência inclusivamente aos cidadãos que trabalham a tempo inteiro. Têm como principal razão a atualização permanente de conhecimentos, aptidões e competências, de forma a preencher as lacunas entre a educação formal e as novas necessidades da sociedade do conhecimento e do mercado de trabalho, ambos em constante mutação.

22.11.2022 - 18:33

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.