Conta Loios

reportagem

Na inauguração da Exposição «A Império Nasceu Aqui»
Clube CHAPAS afirma vontade de criar no Barreiro «um Museu da actvidade seguradora»

Na inauguração da Exposição «A Império Nasceu Aqui» <br />
Clube CHAPAS afirma vontade de criar no Barreiro «um Museu da actvidade seguradora»<br />
Foi hoje à tarde inaugurada na sala multiusos da Biblioteca Municipal do Barreiro a exposição temática “A Império Nasceu Aqui”, na sala multiusos da Biblioteca Municipal do Barreiro, e estará patente ao público até ao dia 2 de abril.

Vitor Alegria recordou que a actividade, em Portugal, nasceu no âmbito do Grupo CUF, por essa razão, expressou o desejo de ser criado no Barreiro – “um Museu da actvidade seguradora, que não existe no país”.

Vitor Alegria, do Clube CHAPAS - Clube História e Acervo Português da Atividade Seguradora, que promove esta iniciativa, recordou a importância do Barreiro na criação de seguradoras em Portugal, nomeadamente o papel de Alfredo da Silva.
Salientou que os materiais expostos são uma pequena parte do muito espólio que o Clube Chapas tem recolhido, por doações de profissionais das mais diversas seguradoras.
“O que está exposto pode multiplicar-se por 28 vezes”, disse.

Chapas possui mais de 4000 unidade de papel e peças

Na mostra estão expostos diversos materiais, desde material de publicidade, passando pelas antigas chapas utilizadas em habitações ou nos carros que comprovavam a empresa seguradora.
Na exposição pode ser observada uma cronologia de diversos momentos históricos da actividade seguradora em Portugal.
Vitor Alegria recordou que a actividade, em Portugal, nasceu no âmbito do Grupo CUF, por essa razão, expressou o desejo de ser criado no Barreiro – “um Museu da actvidade seguradora, que não existe no país”.
O Clube Chapas possui mais de 4000 unidade de papel e peças sobre a actividade seguradora em Portugal.
“Estamos disponíveis e tudo iremos fazer para criar o Museu, que terá que ser num espaço com dignidade e duradouro”, salientou.

Visões sobre a história do país e também desta nossa terra

Sofia Martins, vice presidente da Câmara Municipal do Barreiro, referiu – “registei as vossas palavras”.
A autarca salientou que a autarquia está sempre disponível para apoiar e divulgar nos seus espaços quer actividades artísticas, quer as actividades de colecionadores.
“O vosso trabalho ajuda-nos a desenvolver novas visões sobre a história do país e também desta nossa terra”, referiu a autarca.
“As vossas paixões são também as nossas paixões”, sublinhou.

Memória material e imaterial da indústria seguradora

Após a inauguração os convidados, quer do Barreiro, quer oriundos de diversos pontos do país, efectuaram uma visita ao Património Arqueológico da Baía do Tejo (Museu Industrial, Casa-Museu e Mausoléu de Alfredo da Silva, e ao Bairro Operário).
De referir que Clube CHAPAS - Clube História e Acervo Português da Atividade Seguradora” é uma associação sem fins lucrativos fundada por profissionais de seguros, em 2011, e cuja missão é receber, cuidar e divulgar a memória material e imaterial da indústria seguradora.
A direção do Clube História e Acervo Português da Atividade Seguradora, tem salientado que - "gostaria de contribuir para uma mais vasta oferta cultural na margem sul", através da criação de um espaço museológico.

VER FOTOS

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.10153410291812681.1073742387.374205877680&type=3

19.03.2016 - 19:33

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2021 Todos os direitos reservados.