Conta Loios

reportagem

Barreiro está a mergulhar numa depressão nocturna
Actividade nocturna tem que fazer parte da cidade

Barreiro está a mergulhar numa depressão nocturna<br />
Actividade nocturna tem que fazer parte da cidade. Equilíbrio entre garantir o descanso e garantir a actividade económica

. Há um sentimento de insegurança na noite barreirense

Rui Braga, vereador das actividades económicas, sublinhou que o Barreiro, para actividade nocturna, vai ser dividido em três zonas – malha urbana consolidada, onde a actividade nocturna será mais reduzida; a zona industrial, onde será permitida actividade nocturna, inclusive discotecas, e, a zona ribeirinha, onde há mais potencial para a actividade nocturna.

A Juventude Socialista do Barreiro promoveu um debate, tendo como tema de reflexão : “ A noite no Barreiro”.
O debate foi aberto à comunidade, envolvendo “frequentadores da noite”, sendo a motivação para a sua realização a proposta de Regulamento de Horários, que está em fase de consulta pública.
Pedro Vasconcelos de Almeida, líder da JS Barreiro, na abertura recordou um “inquérito”, junto a empresários da noite, para avaliar a noite barreirense e o que seria necessário para dinamizar a noite.
Referiu que entre as conclusões, os factores dominantes eram as relações institucionais, o peso da factura da água e os relacionamentos correntes.
Recordou que não havia regulamento e a existência de diferentes visões e perspectivas sobre a noite na dicotomia moradores/empresários.

Estruturante na gestão da cidade

O líder da JS sublinhou que os jovens socialistas, promovem este debate porque querem dar o seu contributo no processo de consulta pública do regulamento de horários.
Sublinhou a coragem do executivo municipal com a apresentação do Regulamento, e, afirmou que este é um documento – “estruturante na gestão da cidade”.

Actividade nocturna tem que fazer parte da cidade

Rui Braga, vereador da Câmara Municipal do Barreiro, responsável pela área de actividades económicas, recordou que era do tempo que às 20 horas o pessoal se encontrava na “estátua”, e, aí começava a noite – “há 20 anos a noite do Barreiro era uma referência, com ruas cheias”.
Salientou que a noite do Barreiro tem que voltar a ter oferta e voltar a ter pessoas na rua.
Referiu que nos próximos dois ou três anos – “vamos enfrentar desafios muito grandes”, porque o quadro da nossa oferta nocturma está ligada ao tema do turismo .
O autarca defendeu que temos espaços para desenvolver a oferta nocturna e que a mesma faça parte da nossa qualidade de vida e da visão de cidade que queremos ter daqui a dez anos.
“A actividade nocturna tem que fazer parte da cidade”, disse.

Equilíbrio entre garantir o descanso e garantir a actividade económica

“Não podemos construir uma cidade moderna, com turismo, sem encararmos a noite”, salientou Rui Braga.
O autarca referiu a necessidade de se encontrar o equilíbrio entre garantir o descanso e garantir a actividade económica e considerou fundamental garantir que todos – “temos direito ao descanso”.
Sublinhou que o Regulamento que está em consulta pública é um bom documento- “para começar a discutir”, de forma que, no final da consulta pública, - “termos um bom documento”.

Há um sentimento de insegurança

Bruno Firme, empresário, recordou que vive a noite no Barreiro há 32 anos e, esta passou por vários períodos, bons tempos, em que existiam muitas opções de escolha – “que nós percorríamos as capelinhas”, a pé pela noite, até aos dias de hoje, que nos deslocamos de carro, porque – “há um sentimento de insegurança”.
Referiu que a “sensação de segurança é importante” e, era isto, que fazia a diferença na noite do Barreiro – “encontrávamos muitos amigos na noite”.

Barreiro está a mergulhar numa depressão nocturna

Bruno Firme, salientou que abriu a sua casa há seis anos e meio, e, se existiu um tempo que se fixavam as pessoas até á 2 horas, nos dias de hoje, é cedo quando – deixamos de ver as pessoas”, porque há um sentimento de insegurança.
Salientou que nos dias de hoje há poucas opções de escolha, por isso as pessoas desanimam, e, pouca gente circula na noite.
Recordou que aquilo que motiva os empresários da noite são os clientes, por isso, há desmotivação dos proprietários.
“O Barreiro está a mergulhar numa depressão nocturna, não há a alegria de alguns anos atrás”, disse.

Barreiro vai ser dividido em três zonas

Rui Braga, salientou que a importância do Regulamento que está em consulta pública é definir no território do concelho quais as zonas de actividade nocturna. Referiu que há muitas reclamações de moradores.
Sublinhou que o Barreiro vai ser dividido em três zonas – malha urbana consolidada, onde a actividade nocturna será mais reduzida; a zona industrial, onde será permitida actividade nocturna, e, a zona ribeirinha, onde há mais potencial para a actividade nocturma.
Recordou que no Regulamento há aspectos diferentes, uma coisa são os horários, outra o ruído.

Agendada uma reunião entre empresários da noite e Rui Braga

Seguiu-se um animado debate, envolvendo moradores que se sentem afectados pelo ruídos de estabelecimentos da noite na proximidade, assim como foram apresentadas inquietações por empresários da noite sobre o impacto do Regulamento na actividade económica, e, alertando para o facto de estarem preocupados com as mudanças de horários, nomeadamente em zonas de urbanização consolidada, onde realizaram investimentos que podem ser prejudicados.
Ficou agendada uma reunião entre empresários da noite e Rui Braga, para aprofundar a análise do Regulamento.
Foi sugerido que se evitasse querer fazer as coisas depressa para não prejudicar a actividade que está no terreno, hoje muito reduzida.

29.09.2018 - 16:48

Imprimir   imprimir

PUB.

PUB.





Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design. Fotografia e Textos: Jornal Rostos.
Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.