Conta Loios

reportagem

Terminal de Contentores do Barreiro poderá criar até 5000 empregos
Em Janeiro de 2019 entregue Declaração de Impacte Ambiental

Terminal de Contentores do Barreiro poderá criar até 5000 empregos <br />
Em Janeiro de 2019 entregue Declaração de Impacte Ambiental<br />
. Este é um dos projectos prioritários do governo

. 98% dos solos das dragagens não são contaminados

Carlos Correia, da APL, salientou que na fase de construção do Terminal de Contentores do Barreiro, serão criados 500 postos de trabalho, apontado para a criação de 550 a 1100 empregos, na fase de exploração, e, ainda, empregos directos e induzidos entre 3000 a 5000.

O investimento global na 1ª fase é na ordem dos 500 milhões de euros, e, na segunda fase 632 milhões de euros.

Rui Braga, vereador da Câmara Municipal do Barreiro, responsável pela área do Planeamento, ontem à tarde, no decorrer da Sessão de Esclarecimento sobre o Terminal de Contentores do Barreiro, sublinhou que não queremos o Terminal a todo o custo, afirmando – “a cidade do Barreiro não se pode transformar na cidade dos contentores”.
Referiu que a primeira localização “era inaceitável” porque colocava em causa a melhor vista para Lisboa, por outro lado, salientou que o Terminal não pode impedir a futura construção da Terceira Travessia do Tejo, assim como a ligação do Barreiro ao Montijo.

Operador ter a sede no concelho

O autarca referiu que ao nível das acessibilidades o Terminal não pode ser servido apenas pela via rápida, sendo necessário melhorar as acessibilidades, assim como a interligação do Terminal com a cidade, com a malha urbana
Rui Braga, considerou importante garantir que o futuro operador do Terminal de Contentores do Barreiro, tenha a sua sede no concelho.
Salientou que o projecto de Terminal de Contentores ainda não foi discutido em reunião de Câmara.

É uma oportunidade para o Barreiro

Carlos Correia, da APL, referiu que o Terminal de Contentores do Barreiro tem uma enorme importância para o Porto de Lisboa – “é uma oportunidade para o Barreiro”, com importância para o seu desenvolvimento económico.
Recordou que ao nível mundial nos próximos anos, até 2030, o transporte marítimo vai crescer, prevendo-se um aumento de 50% ao nível da União Europeia.
Em Portugal, disse, tem vindo a registar-se um crescimento significativo, na ordem de mais 74% nos Contentores e 42% nas Mercadorias.
“Portugal dispõe de condições privilegiadas para captar tráfego”, disse.

Criação de um centro logístico-industrial.

O Porto de Lisboa até 2025 pode ver esgotada a sua capacidade, referiu, acrescentando que o Barreiro dispõe de condições de excelência, com condições técnicas, para receber de forma faseada a implantação do Terminal de Contentores, nomeadamente, por beneficiar de uma rede ferroviária e variante rodoviária.
Recordou o facto de existir uma área de 400 Há – o território da Baía do Tejo – onde é possível instalar empresas logísticas, um factor determinante para a evolução do Porto, com a criação de um centro logístico-industrial.

Empregos directos e induzidos entre 3000 a 5000.

Carlos Correia, salientou que na fase de construção do Terminal de Contentores do Barreiro, serão criados 500 postos de trabalho, apontado para a criação de 550 a 1100 empregos, na fase de exploração, e, ainda, empregos directos e induzidos entre 3000 a 5000.
Sublinhou que a construção do Terminal de Contentores do Barreiro será concretizada com recurso à iniciativa privada, a participação pública será ao nível das acessibilidades rodoviárias e ferroviárias.

Salvaguardar Terceira Travessia do Tejo

Recordou que este projecto começou no ano de 2014, depois em 2017, com as criticas ao Estudo de Impacto Ambiental, que obteve a oposição da Câmara Municipal do Barreiro, foi necessário encerrar o processo.
Foi constituído um Grupo de Trabalho em 2018, para optimizar o projecto, e, neste momento, está a decorrer, até 7 de Dezembro, o processo de consulta pública do Estudo de Impacto Ambiental.
Sublinhou que no novo projecto estão salvaguardadas as “vistas” da Avenida da Praia, assim como as condicionantes relativas à Terceira Travessia do tejo e ao novo aeroporto no Montijo.
Em Janeiro de 2019 deve ser apresentada a Declaração de Impacte Ambiental, para abrir o caminho ao lançamento do Concurso Internacional.

Este é um dos projectos prioritários do governo

Carlos Correia, salientou que o Terminal de Contentores do Barreiro insere-se na estratégia nacional, aprovada em Conselho de Ministros, para o aumento da competitividade da rede de portos.
“Este é um dos projectos prioritários do governo”, disse.
Referiu que o cais, no novo projecto, foi encurtado para 1.325 metros, quando no projecto anterior tinha 1500 metros.
Sublinhou que, nas dragagens que serão feitas 98% dos solos não contaminados, e que, as dragagens futuras para manter a navegabilidade – “não é nada assustador”, até, “são semelhantes ai feito na margem norte”.
O investimento global na 1ª fase é na ordem dos 500 milhões de euros, e, na segunda fase 632 milhões de euros.

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10155822212502681

25.11.2018 - 02:07

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2021 Todos os direitos reservados.