Conta Loios

reportagem

Na descoberta da freguesia de Santo António da Charneca
Ter uma sede da junta com dignidade é o meu sonho

Na descoberta da freguesia de Santo António da Charneca<br />
Ter uma sede da junta com dignidade é o meu sonho. Problemas das AUGIS estão sendo solucionados

“Não sinto que haja um problema de insegurança na freguesia, mas a GNR tem falta de mais efectivos”, sublinha Isabel Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de Santo António da Charneca.

Uma grande prioridade são as acessibilidades – “queremos fazer os passeios que liguem a Penalva até Santo António: Este ano vamos fazer 600 metros de passeios. Faltam passeios na freguesia no Cabeço Verde, na Penalva, nas Vilas da Serra. Os passeios são necessários para melhorar a mobilidade”.

A freguesia de Santo António da Charneca foi a única no concelho do Barreiro que manteve a sua área territorial e não sofreu mudanças com a reorganização administrativa do território das freguesias no ano 2013.
Ali estão inscritos 9.762 eleitores. Nas últimas eleições autárquicas, votaram 4.774, tendo a abstenção sido de 51%. Nada que não seja o habitual em eleições autárquicas. Esta foi uma freguesia liderada pela CDU, que já a tinha perdido para o PS, que, agora, em 2017, voltou a reconquistar a liderança.

É uma freguesia muito envelhecida

Um destes dias com Nuno Cavaco, presidente da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, visitamos o território daquela freguesia do concelho da Moita.
Agora foi a vez de com Isabel Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de Santo António da Charneca, partirmos á descoberta da freguesia numa visita pelos recantos, da Vila Chã à Vilas da Serra .
Entramos na carrinha – “é uma carrinha nova, mas é um carro de trabalho. Fica paga até ao final do mandato”, refere a autarca.
«Esta é uma freguesia muito envelhecida», comenta Isabel Ferreira. Neste contexto expressa a sua preocupação de promover actividades direccionadas para ocupar os idosos- “já fizemos três passeios é a forma de tirá-los de casa”.

Zona de expansão urbana do concelho do Barreiro

A freguesia de Santo António da Charneca tem uma área urbana e uma área rural, é um território por onde se pode e vai certamente registar a maior expansão urbana do concelho do Barreiro.
No decorrer da visita ficámos a saber que existem projectos de urbanização em marcha – ‘já estão em estudo em Gabinetes de Arquitectura’ - que vão contribuir para o desenvolvimento de áreas centrais da freguesia.

Problemas das AUGIS estão sendo solucionados

“Esta é uma freguesia com a sua especificidade. Tem uma área urbana e tem uma área rural, mas elas complementam-se. Esta freguesia é a porta de entrada do concelho do Barreiro. Aqui ainda há muito terrenos para urbanizar. Ainda temos o problema das AUGIS, mas, esse está a ser solucionado. O anterior executivo da Câmara fez a candidatura. O actual executivo da Câmara está fazer a obra. Está a avançar.”, refere Isabel Ferreira.

A melhor presidente de sempre da nossa freguesia

No decorrer da visita, em conversa com Isabel Ferreira, disse-lhe – ‘quando foi divulgado o seu nome como candidata à presidência da freguesia comentei que era uma candidata fraca, achava que não tinha garra para assumir estar missão, mas, agora, passados dois anos, tenho que reconhecer que me enganei”.
Na verdade, senti que Isabel Ferreira é uma presidente com garra, que arregaça as mangas e mete-se ao trabalho, vai à luta com os seus trabalhadores e mantém uma estreita ligação com as pessoas.
“É a melhor presidente de sempre da nossa freguesia”, comentam umas senhoras sentadas, na rua, à porta de casa. Isabel sorri e troca conversa.
“Gosto de trabalhar na rua em contacto e a falar com as pessoas. Mas isto nem sempre é fácil. Mas gosto mesmo deste contacto com a população”, sublinha a autarca.

Ligação muito grande com os serviços da Câmara

Os presidentes de junta de freguesia sentem o impacto directos dos problemas que afectam o dia-a-dia, e, por vezes, mesmo não sendo matérias da competência da freguesia, são eles que ouvem as reclamações em primeiro lugar – “nós intervimos sempre que é necessário, por vezes resolvemos problemas que são da responsabilidade da Câmara, mas a Câmara se necessário também resolve situações que devia ser a junta a resolver”.
“Mantemos uma ligação muito grande com os serviços da Câmara Municipal do Barreiro, com todos os serviços. Não temos nenhuma razão de queixa. O Serviço de Higiene Urbana, nesta freguesia faz um trabalho notável”, salienta.

Não respeitam o espaço público

Uma paragem aqui, outra ali- “isto está tudo limpo”, sublinha com um ar orgulhoso.
Verificamos em diversos locais, ora na Penalva, ora na Cidade Sol ou na Vila Chã, os muitos monos acumulados junto a contentores.
“Isto ontem foi limpo. Hoje já está na mesma. As pessoas não respeitam o espaço público. É uma grande falta de civismo. De manhã limpa-se, à tarde está igual. Não conseguimos acabar com esta situação dos monos.”, comenta Isabel Ferreira.
Vamos viajando pela freguesia e conversando de forma amena. Uma conversa franca.
Na troca de palavras, numa amena cavaqueira, comento que concordo com o que diz sobre os monos e a falta de civismo – “sempre assim foi, mas na campanha eleitoral, não era isso que se dizia, na altura a culpa era da Câmara, hoje é a falta de civismo. É disso que não gosto, foi isso que critiquei e critico”, disse-lhe.

O que quero é embelezar a freguesia

A presidente da Junta de Freguesia de Santo António no decorrer da viagem vai encontrando equipas de trabalho de pessoal da Junta . Pára. Troca palavras- “Está tudo bem?», interroga.
“A minha experiência de trabalhadora da Câmara ajuda-me muito nesta função. Sabe, eu todos os dias estou a aprender a ser presidente de Junta de Freguesia. Não me importa o que os outros, antes, não fizeram. Hoje quero fazer e faço o melhor que posso. O que quero é embelezar a freguesia”, comenta.
“Trato os trabalhadores da Junta de Freguesia como se fossem meus colegas. É com eles que resolvo os problemas. É por isso que é bom ter trabalhadores motivados. Só tenho que agradecer aos trabalhadores da Junta de Freguesia o trabalho que vamos fazendo na freguesia”, afirma.
Ali nas Vilas da Serra para junto ao chafariz que foi recuperado, pintado – “Está bonito, não está?. Estava todo tapado e escondido pelas ervas”.
Junto à escola da Fonte da Telha- “este chafariz também vai ser recuperado, é tão bonito”, refere.

Material ortopédico abandonado

Comenta a intervenção que foi feita na escola e a recuperação do edificio anexo. Conta que aquele era um edificio que estava fechado há alguns anos, sem utilização.
Ali, foi encontrado material ortopédico, abandonado e a estragar-se, cadeiras de rodas e andarilhos – “as pessoas pediam-nos emprestados, nós dizíamos que não tínhamos e estava, aqui, armazenado e a degradar-se, foi uma situação que me doeu muito, fiquei muito triste. Encontrei coisas em muito estado de abandono ”, sublinha.

É muito dificil é uma freguesia muito grande

Isabel Ferreira, refere que na actividade da Junta de Freguesia existem algumas prioridades – manter as escolas em boas condições, limpeza nos espaços públicos, construção de passeios.
«É muito dificil é uma freguesia muito grande.Há muitos passeios por construir. Há muitos espaços verdes, muita erva nos passeios. As ervas crescem muito, há muita humidade, há muita água no terreno e, com este estado do tempo de hoje, mudou tudo”, sublinha.
Na amena cavaqueira. Recordei-lhe que no passado recente quando se falava nas ervas nas ruas, tal como o lixo – “a culpa era da Câmara, agora é porque há muita humidade”.
“Você defende os comunistas”, refere. Ri.
“Não defendo ninguém, defendo a realidade, a verdade”, replico. E lá vamos conversando e conhecendo os recantos da freguesia. E lá vamos em viagem. O jornalista e a autarca. Dois amigos.

Passeios necessários para melhorar a mobilidade

Vamos conversando. E sinto o entusiasmo com que a autarca vai mostrando o que fez bem, e o que gostava de fazer – “no próximo ano queremos fazer o Parque Infantil na Vila Chã, esperamos que avance o alcatroamento das ruas programadas pela Câmara, vamos arranjar o passarinheiro na entrada de Santo António e continuar os passeios na Estrada 510”.
Uma grande prioridade são as acessibilidades – “queremos fazer os passeios que liguem a Penalva até Santo António: Este ano vamos fazer 600 metros de passeios. Faltam passeios na freguesia no Cabeço Verde, na Penalva, nas Vilas da Serra. Os passeios são necessários para melhorar a mobilidade”.
“Ali, já estamos a limpar as valas. O verão está a acabar é preciso limpar e prevenir para o tempo das chuvas que vem por aí e nós bem precisamos dela”, refere.

Trabalho de intervenção em todas as escolas

Passamos junto ao coreto – “há noite está sempre iluminado. Foi pintado e está bonito”.
Na escola do ensino básico refere as rampas de acesso que foram colocadas permitindo mobilidade as pessoas com deficiência motora – “serve a escola e serve para os dias de eleições, porque aqui funcionam mesas de voto e como estava era dificil o acesso”.
Isabel Ferreira, salienta – “fizemos nas férias um trabalho de intervenção em todas as escolas, em colaboração com a Câmara”.

GNR tem falta de mais efectivos

Entramos na Cidade Sol. Lá estão os monos junto aos contentores. Aponta e comenta indignada.
“Temos por aqui um problema grave. Já foram evacuados sete prédios. Roubam as ligações aos contadores de gás e há fugas”, sublinha.
A GNR tem falta de efectivos – “muito fazem eles”, refere.
“Não sinto que haja um problema de insegurança na freguesia, mas a GNR tem falta de mais efectivos”, sublinha.

Precisamos de uma sede com dignidade

Findámos a viagem. Parámos para beber um café, ali, na Vila Chã, num café agradável, com uma esplanada para um jardim onde as crianças brincam na relva – “que brinquem na relva, eles precisavam aqui era de um parque infantil”, diz.
O dono do café - «A Trigueirinha» - é um amigo. Um poeta. Enquanto conversamos passam amigos – “olha está cá o jornal Rostos”.
“O meu grande sonho é ter uma sede nova da Junta de Freguesia. Estamos a estudar para que possa ser construída no espaço onde está o estaleiro da Junta.
Precisamos de uma sede com dignidade. Não temos condições de trabalho nem os eleitos, nem os trabalhadores, nem condições dignas para servir a população. Este é o meu sonho, para este mandato, ou para o próximo mandato. Sim, acho que vou ficar por cá mais um mandato. Esta é a terra onde vivo há muitos anos, a terra onde o meu filho cresceu, ele que é meu braço direito. Quero continuar para fazer mais por Santo António. Sei que não faço tudo bem. Faço coisas bem e faço coisas mal, tal como os outros que estiveram antes de mim, mas quero fazer mais e melhor, sempre fazendo o que sei e o que posso. Porque acredito no potencial da freguesia quero continuar no próximo mandato, quero realizar o sonho da nova sede da freguesia”, afirma.

Sou uma mulher de esquerda

“Sou uma mulher de esquerda. Sou deste PS, esse que está mais à esquerda, esse que está a favor das pessoas. E tenho comigo sempre o meu Santo António, que me protege. Estou a falar consigo de forma aberta. Veja lá o que escreve.”, refere Isabel Ferreira.
“Nunca deixei de ter o apoio do Presidente do PS, André Pinotes. O presidente da Câmara, Frederico Rosa, está sempre presente na vida da freguesia”, sublinha.
Refere que gosta que a Junta de Freguesia seja um agente animador da vida local, por isso levou as Festas de Santo António de novo para o centro da vila, tem vindo a dinamizar as Feiras da Bagageira e iniciou o Mercado de Levante.
E foi assim, mais uma viagem em descoberta das freguesias...

S.P.

VER FOTOS

13.09.2019 - 01:38

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.