Conta Loios

reportagem

Moita - Na Capela da Misericórdia de Alhos Vedros
Exposição «As nossas cores»
Por favor, emocione-se!

Moita - Na Capela da Misericórdia de Alhos Vedros<br />
Exposição «As nossas cores»<br />
Por favor, emocione-se!“É bom um artista plástico partilhar a sua obra com os outros. A partir de agora nós vamos apropriar-nos das suas obras, cada um de nós faz a sua interpretação. É esta a magia da arte, ser vista por cada um com o seu olhar ”, sublinhou Joaquim Raminhos, do CACAV, no decorrer do acto inaugural.

Na Capela da Misericórdia de Alhos Vedros, ontem à noite, foi inaugurada a exposição do artista António Tapadinhas, subordinada ao tema: "As nossas cores".
Joaquim Raminhos do CACAV – Centro de Animação Cultural de Alhos Vedros, recordou que António Tapadinhas para chegar a este momento percorreu ‘um longo percurso’, até esta hora de ‘partilhar o seu trabalho’, é como ‘ver nascer o seu filho’.

Cada um de nós interpreta

“É bom um artista plástico partilhar a sua obra com os outros. A partir de agora nós vamos apropriar-nos das suas obras, cada um de nós faz a sua interpretação. É esta a magia da arte, ser vista por cada um com o seu olhar ”, sublinhou.
“O autor fez a sua obra, com a sua sensibilidade e o seu sonho. Cada um de nós interpreta”, referiu Joaquim Raminhos.
Referiu que “estamos perante uma excelente exposição”, onde se sente o “olhar do pormenor sobre vários ambientes”.

Gozar os sentimentos

António Tapadinhas, sublinhou que – “ao apreciar uma obra de arte, somos tentados a descobrir nela um significado mais ou menos oculto.
Esta atitude aumenta, proporcionalmente, com o grau académico do apreciador, tornando-o incapaz de simplesmente gozar os sentimentos por ela despertados”.

O fundamental são as emoções

“Quando lemos um livro, não pensamos na qualidade do papel, no tipo de letra, nem sequer, no método de impressão. Esses pormenores são acessórios, que não têm a ver directamente com o seu conteúdo. E o mesmo se passa, quando ouvimos uma canção, vemos um filme ou assistimos a uma peça de teatro. O fundamental são as emoções que o autor, com o meio utilizado, consegue ou não transmitir.
Também na pintura, devemos fazer um esforço para esquecer o acessório.”, afirmou António Tapadinhas.

Por favor, emocione-se

O artista recordou que Picasso, disse – “que leva muito tempo a tornarmo-nos jovens”, e acrescentou – “eu próprio, com tanto Amor que me rodeia, sinto-me mais jovem. Por isso, devemos manter o espírito aberto, para poder viver, em plenitude, o efeito que a Arte pretende transmitir: Emoção. É para isso que ela serve. Por favor, emocione-se”.

A exposição fica patente ao público na Capela da Misericórdia de Alhos Vedros, de 27 de Setembro até 13 de Outubro.

Sextas Feiras - das 21 ás 23 horas
Sábados e Domingos - das 10 às 13 horas

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10156443005417681

28.09.2019 - 22:10

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.