Conta Loios

reportagem

Moita - Fundação Santa Rafaela Maria realiza obras no Palacete da Fonte da Prata
Recuperação ronda os dois milhões de euros
. Precisamos do apoio da comunidade

Moita - Fundação Santa Rafaela Maria realiza obras no Palacete da Fonte da Prata <br />
Recuperação ronda os dois milhões de euros<br />
. Precisamos do apoio da comunidade<br />
“Vamos precisar de muita ajuda, queremos envolver toda a gente. Temos parte dessa verba, mas temos pela frente um prazo de 5 anos para recuperar o Palacete. Em 2023 nós temos que ter o palacete reconstruído. Manter o que é a traça”, sublinha Maria José, Presidente do Conselho de Administração da Fundação santa Rafaela Maria.

A Congregação Escravas do Sagrado Coração de Jesus, é a entidade quer criou a Fundação Santa Rafaela Maria, que há cerca de 30 anos desenvolve uma acção missionária no Bairro da Fonte da Prata, no concelho da Moita.

Da catequese ao apoio social às crianças

O começo da actividade da Fundação Santa Rafaela Maria foi dirigida para dar aulas de catequese nas escolas da proximidade e trabalhando num Centro Social de apoio às crianças – “esta era uma obra social que não era nossa, mas estivemos a apoiar durante algum tempo, com o passar dos anos saímos dessas obras sociais, que não era nossas e criamos, nnós, as nossas respostas sociais”, refere ao jornal Rostos Maria José, Presidente do Conselho de Administração da Fundação.
“Criámos o projecto ‘Tass’, que funciona desde 2004. ‘Tass’ não significa nada, é uma expressão como ‘tass bem’.”, sublinha.

Um bairro com muitas carências

A Fundação Santa Rafaela Maria optou por comprar uma loja, com o objectivo de criar as condições necessárias para dar apoio às crianças do Bairro da Fonte da Prata, com o objectivo de as acompanhar e garantir o sucesso escolar, dar-lhes apoios nos períodos após a saída da escola e trabalhar com eles as competências para os ajudar a ir o mais longe possível na sua escolaridade.
“Este não é um bairro social, mas é um bairro com muitas carências.”, sublinha Maria José.
Por essa razão a Fundação garante o apoio às familias, que trabalham e as crianças ficam sozinhas.
“O ‘Tass’ acaba por ser uma segunda casa destas crianças. Neste momento envolve mais de 100 crianças”, acrescenta.

Dar às crianças um ambiente mais cuidado

A Câmara Municipal da Moita deliberou a cedência do “Palacete” da Quinta da Fonte da Prata, em direito de superfície, por um período de 50 anos, à Fundação Santa Rafaela Maria. O imóvel “Palacete” tem uma área de 10 136,70m2 e po seu valor patrimonial é de cerca de 215 500 euros.
“Este imóvel destina-se à falta de espaço que nós temos. Este Palacete está perto da Fonte da Prata, embora não esteja localizado no interior do Bairro. No Bairro temos dificuldades. Temos espaços muito pequenos e andamos com as crianças de um lado para o outro”, sublinha Maria José.
“Também consideramos que temos que dar às crianças um ambiente mais cuidado. Este é um espaço muito bonito”, refere.

Intervenção prevista são dois milhões de euros

“Nós estamos a recuperar o edificio. Neste momento o orçamento que temos em referência para toda a intervenção prevista são dois milhões de euros”, sublinha Maria José.
A obra que já está em curso, numa primeira fase visando apenas a intervenção no telhado está sendo concretizada apenas com o recurso aos meios da Fundação Santa Rafaela Maria.
“Vamos precisar de muita ajuda, queremos envolver toda a gente. Temos parte dessa verba, mas temos pela frente um prazo de 5 anos para recuperar o Palacete. Em 2023 nós temos que ter o palacete reconstruído. Manter o que é a traça”, sublinha.

Esta fase da obra é só para reconstruir as coberturas

Recorde-se que o incêndio que se registou no Palacete no ano 2018 degradou mais a situação já degradada do edificio.
“Nós, para já, não vamos recuperar por dentro. Não conseguimos, porque houve parte que acabou por ruir. Esta fase da obra é só para reconstruir as coberturas”, sublinha Maria José.

Dentro de um ano começar a trabalhar neste espaço

“Nós esperamos, idealmente, dentro de um ano começar a trabalhar neste espaço com as nossas crianças. Não sabemos se será possível. Ter melhores condições para trabalhar com as crianças é a nossa prioridade. Isto vai funcionar como se fosse um campus para as crianças.”, refere Maria José.

Recuperação do património do concelho

Fomos visitando o espaço. Observámos a obra que está me marcha. Sentimos o pulsar da energia empreendedora das irmãs Maria Duarte, presidente da Comissão Executiva da da Fundação Santa Rafaela Maria, e, de Maria José, presidente do Conselho de Administração.
Referem que existem dificuldades de encontrar linhas de apoio que possam contribuir para o financiamento da obra, e, manifestam o desejo de poder contar com algum apoio da Câmara Municipal da Moita, de empresas, dos cidadãos, e de outras instituições.
Sublinham a importância de envolver a comunidade e gostavam de receber visitas de deputados, membros do governo, autarcas e todos que possam dar um contributo para realizar esta importante obra, que para além da recuperação do património do concelho da Moita e da freguesia de Alhos Vedros, é, também o criar condições para ampliar a capacidade de intervenção social junto às crianças do Bairro da Fonte da Prata.

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10156826969042681

13.02.2020 - 18:34

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.