Conta Loios

reportagem

Apresentação do livro infantil «O rio, os moinhos e a gaivota»
No Barreiro existe muita coisa boa e foi sempre uma boa inspiração

Apresentação do livro infantil «O rio, os moinhos e a gaivota»<br />
No Barreiro existe muita coisa boa e foi sempre uma boa inspiração Hoje à tarde, no Moinho de Maré Pequeno – Centro Interpretativo do Património Moageiro do Barreiro, decorreu a apresentação do livro infantil «O rio, os moinhos e a gaivota», com texto de Fernando Motta e ilustração de Cristina Arvana, uma edição da Câmara Municipal do Barreiro.

A obra é destinada a proporcionar a um público infantil uma viagem pela história do Barreiro. Essencialmente, em torno do seu património moageiro, ao longo dos Rios Tejo e Coina.
O texto é de Fernando Motta, Técnico da Câmara Municipal do Barreiro, natural do Barreiro, que sublinhou ao jornal «Rostos» ser este livro um contributo para fechar um vazio existente de conteúdos bibliográficos, sobre a história local, destinados a públicos infantis.
Salientou que o texto é uma viagem pela história, feita com uma gaivota, sendo esta uma forma de prestar uma homenagem ao fotógrafo Augusto Cabrita, que tinha um especial carinho pelo Tejo e pelas gaivotas.

Esta paisagem dos moinhos faz parte de mim

Cristina Arvana, Ilustradora, é natural do Barreiro, refere que este trabalho nasce em sequência de outros trabalhos que realizou no Espaço Memória, onde conheceu o autor do Texto, que, agora, lançou o desafio ilustrar este texto, um convite que agradece reconhecidamente.
Cristina Arvana exerce a sua actividade profissional com especial incidência na ilustração de livros infantis. O seu primeiro trabalho foi a ilustração de um livro infantil – “Nascem moedas no meu porquinho” – da Pediatra Vera Silva, do Barreiro.
“A ilustração foi o que sempre sonhei fazer na vida, actividade que comecei a sério há quatro anos”, refere.
Foi fácil adaptar-se ao texto de Fernando Motta, e, reconhece que apesar de já não viver no Barreiro, foi aqui que nasceu e viveu na Recosta, durante muitos anos, por essa razão sublinha que se identifica, particularmente com a zona ribeirinha – “esta paisagem dos moinhos faz parte de mim”.

No Barreiro existe muita coisa boa e foi sempre uma boa inspiração

No final da nossa breve conversa Cristina Arvana, salienta que sente que o Barreiro foi sempre uma terra ligada às artes – “sempre achei que havia um movimento artistico, sempre houve aqui muita coisa a acontecer, temos sempre aquele estigma de estar sempre a olhar para Lisboa, e, por vezes, viramos as costas àquilo que é nosso, mas isso é muito português. Eu acho que no Barreiro existe muita coisa boa e foi uma boa inspiração, desde sempre”, comenta.

«O rio, os moinhos e a gaivota»
Texto - Fernando Motta
Ilustração e design gráfico - Cristina Arvana
Edição da Câmara Municipal do Barreiro
1 ª edição Julho de 2020
Preço 5 euros.
Vai estar à venda na Biblioteca Municipal, no Moinho Pequeno, e no Espaço Memória

15.10.2020 - 19:15

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.