Conta Loios

reportagem

Paulo Martins, Governador do Distrito Rotário 1960 no Barreiro
«As adversidades têm que nos dar mais força».

Paulo Martins, Governador do Distrito Rotário 1960 no Barreiro<br>
«As adversidades têm que nos dar mais força». A visita do Governador do Distrito Rotário 1960 ao Rotary Club do Barreiro culminou com uma reunião rotária nas instalações da Associação Nós, no decorrer Jennifer Pestana, passou a integrar o clube, e, também, foram homenageados os membros do clube que completaram 20 anos de dedicação à causa rotária.

O Rotary Club do Barreiro, fez um balanço das diversas actividades realizadas pelo clube ao longo do ano, nomeadamente o apoio social, através da associação NÒS, a 20 familias, num total de 42 pessoas, que vivem em situação difícil.

A noite começou em amenas conversas, cumprimentos, reencontros, enquanto se bebia um moscatel, escutavam-se os sons harmoniosos do violino do jovem Miguel Vaz, barreirense, da escola que formou gerações, no caso a Camerata Municipal, com décadas e que honra a cultura musical e centenária do Barreiro.
A mesa que presidiu à sessão foi composta por Paulo Martins, Governador do Distrito Rotário 1960; Carlos Cardigos, Presidente do Rotary Club do Barreiro; Carlos Guerreiro, vereador da Câmara Municipal do Barreiro; Humberto Candeias, da associação NÒS, e José Nunes, presidente do Rotary Clube da Moita.
O responsável do Protocolo Carlos Silva, coordenou e dirigiu os trabalhos no apoio à Mesa da presidência, honrou-nos com a apresentação do jornal «Rostos», reconhecimento que registamos e agradecemos.

Desindustrialização deixou marcas nas cidades

Paulo Martins, Governador do Distrito Rotário durante o dia de ontem o concelho do Barreiro, para conhecer a realidade do clube e conhecer a vida da comunidade.
O Governador visitou o «Espaço Memória», onde teve oportunidade de conhecer o papel relevante do Barreiro na história da indústria de Portugal, e, salientou que com a desindustrialização, por todo o país, as cidades deixaram de ter a sua matriz e, hoje, são uma pálida imagem do que foram no passado.
Recordou memórias que guarda de sua juventude de visitas que fez ao Barreiro, “um sitio de boas memórias”, uma cidade do desporto, do futebol e do basquetebol.

Clubes sejam atractivos para os jovens

Paulo Martins, referiu que as visitas que faz por todo o país permitem-lhe, no terreno, conhecer os clubes e o que eles fazem nas comunidades.
Expressou o seu orgulho por o Barreiro ser uma cidade que na sua entrada tem o «marco rotário», este é um exemplo do reconhecimento e da sua afirmação na comunidade.
Salientou que o Rotary Club do Barreiro é um clube que está a crescer, que se está a consolidar e a rejuvenescer.
Saudou o novo membro do clube – a jovem Jennifer Pestana - oriunda do Rotaract, e, considerou importante que os clubes sejam atractivos para os jovens.

Rotário importante papel social a desempenhar

Paulo Martins salientou que vivemos um tempo de pandemia, que ainda não está controlada, alertando para as consequências económicas e sociais, mesmo com bazuca, que ainda estão por chegar, por essa razão, referiu que esses tempo vão sere exigente e os clubes rotários têm um importante papel social a desempenhar, por isso, é essencial que exista trabalho de equipa, porque em equipa trabalha-se mais e é possível planear as escolhas e melhores soluções para os desafios e mudanças nas comunidades.
“Somos uma rede internacional e estamos em toda a parte do mundo”, disse.

Temos que transformar informação em conhecimento

O Governador do Distrito Rotário 1960, na sua intervenção abordou diversos temas de actualidade, nomeadamente as diferenças e os efeitos das relações digitais e relações presencias – “não é a mesma coisa o digital e o presencial”.
Ou que estamos num tempo em que estamos inundados de informação, e não percebemos que informação não é conhecimento – “nós temos que transformar informação em conhecimento”.

As adversidades têm que nos dar mais força

Defendeu que os clubes rotários devem conhecer as comunidades, ligar-se às autarquias, conhecer para definir as acções prioritárias.
Acrescentando que não basta ter informação e conhecimento, é preciso ter paixão e se resiliente, com a consciência que – “as adversidades têm que nos dar mais força”.

Os desafios intergeracionais

Recordou o papel dos que construíram a vida das comunidades ou dos clubes rotários no passado, foram esses que nos trouxeram até aqui, isso, sublinhou que coloca “desafios intergeracionais”.
“Não deixes para trás aqueles que te trouxeram até aqui”, afirmou.

Apoio a 20 famílias carenciadas

Na abertura da sessão, Carlos Cardigos, Presidente do Rotary Club do Barreiro, fez um balanço das diversas actividades realizadas pelo clube ao longo do ano, nomeadamente o apoio social, através da associação NÒS, a 20 familias, num total de 42 pessoas, que vivem em situação difícil, para além de apoios pontuais a pessoas carenciadas, à associação Persona, a Associação de Mulheres com Patologia Mamária, ou a atribuição de duas bolsas de estudo a alunos da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro.
Referiu as boas relações do clube com a Câmara Municipal do Barreiro e os apoios ao Hospital do Barreiro.

Uma nota final, nas tradicionais trocas de lembranças, o Rotary Club do Barreiro, ofereceu ao Governador, Paulo Martins, um exemplar do livro «1821- o regresso do Rei», do jornalista e escritor barreirense, Armando Seixas Ferreira.

António Sousa Pereira

VER FOTOS

https://www.facebook.com/media/set/?vanity=jornalrostos&set=a.10158332877552681

07.12.2021 - 00:08

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.