Conta Loios

reportagem

No Luso Futebol Clube do Barreiro
Apresentação do livro "Escritos Emancipados" de Amadeu Oliveira Singens
. Por dentro de memórias camarras

No Luso Futebol Clube do Barreiro<br />
Apresentação do livro . Por dentro de memórias camarras
"> No dia 25 de novembro, pelas 17 horas, no Café na sede do Luso Futebol Clube do Barreiro, realizou-se a apresentação do livro "Escritos Emancipados", de Amadeu Oliveira Singens. A obra foi apresentada por Armado sousa Teixeira.

João Latas, Presidente da Direcção do Luso Futebol Clube, sublinhou que Amadeu Oliveira Singens “é um camarro de gema” e “ex-atleta do nosso clube” e referiu ser uma honra para o Luso receber a sessão de apresentação da obra de um barreirense.

Não há muitos escritores camarros

O livro foi apresentado por Armando Sousa Teixeira, que recordou os tempos de infância do Largo Casal, onde conviveu com o Manecas, irmão do autor, e muitos outros – “todos da zona camarra”.
Referiu que “não há muitos escritores camarros, infelizmente, pois contam-se pelos dedos aqueles que são escritores e nasceram para aqui para estas bandas”, daí o elogio que dirigiu ao Amadeo pela coragem de escrever e recordou que “um homem só envelhece quando deixa de sonhar, o Amadeo sonhou e levou à prática, aquilo que é mais complicado e maias difícil, levar à prática os nossos sonhos e escreveu um livro de memórias, com as suas memórias, parte da sua vida, muitas delas ligadas ao local onde nasceu”.

Uma viagem pelas memórias camarras

Armando Sousa Teixeira, na sua intervenção partilhou memórias que partilhou com muitos presentes, ligadas ao “Barreiro Antigo, Velho ou histórico”, “sobretudo centradas na zona da Senhora do Rosário donde vem o epiteto de Camarro”.
Sublinhou que o Luso Futebol Clube é o mais representativo das vivências das pessoas que aqui cresceram, trabalharam e aqui foram fazendo a sua vida – “mesmo para os que vieram e a dada altura vieram muitos de fora, o Barreiro era uma terra de imigração”.
Recordou factos diversos, percorrendo a memória desde os anos, evocando paisagens e pessoas. Lugares , momentos culturais, desportivos e de luta pela liberdade e democracia, desde as greves dos corticeiros, aos ferroviários ou quimicos, ou a fundação da Escola Alfredo da Silva, até às eleições de 1969 e 1973, assim como a histórica noite de resistência de 11 de Novembro de 1967.

O amor despertou a poesia

Amadeu Oliveira Singens falou sobre o seu livro referindo que o mesmo é uma colectânea de textos com uma dimensão literária autobiográfica, através da qual faz uma abordagem das suas vivências, em Angola. Salientou como o amor da sua vida fez despertar dentro de si o gosto pela poesia.
Sublinhou a satisfação que sentia pela presença na sessão de amigos de infância, só por isto vale a pena esta sessão, comentou.
Referiu que a obra aborda a sua vivência em Angola, e, as suas memórias no Barreiro, desde a sua infância e juventude, com incidência no período epocal entre 1942 - 1962.
A obra são textos de poesia, contos, artigos de opinião e pensamentos, escritos ao longo da vida, disse, acrescentando que – “é uma leitura ligeira e relaxante”.
No final prestou uma homenagem a Artur Pinheiro Carvalho, irmão de Carlos Humberto, ex-presidente da Câmara Municipal do Barreiro, evocando os seus dons poéticos e lendo poemas que entre si partilharam.
Foi uma tarde que proporcionou uma viagem pelas gentes e lugares que fazem a história do Barreiro Camarro.

S.P.

26.11.2022 - 21:33

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2023 Todos os direitos reservados.