reportagem

Moita / Barreiro - Projecto GRATITUDE
“Não há só pobreza financeira, também existe a pobreza emocional.”

Moita / Barreiro - Projecto GRATITUDE<br />
“Não há só pobreza financeira, também existe a pobreza emocional.” . Dá apoio alimentar a 40 famílias, abrangendo mais de 200 pessoas

O projecto GATITUDE está na rua, une a gratidão pela vida com a atitude que motiva a agir, caminharam e não desistem de sonhar. Ajuda quem carece de apoio e procurar abrir caminho para projectos de vida. Estão em marcha, o próximo passo é criar uma associação.

Quando da primeira vaga da pandemia COVID 19, na Urbanização dos Fidalguinhos, para dar respostas a famílias que viveram momentos difíceis foi criado um «Frigorifico Solidário», com o objectivo de motivar a comunidade a ajudar as pessoas, naquele frigorifico eram conservadas sopas, feitas por diversas famílias, que posteriormente eram distribuídas aos que necessitavam de apoio alimentar.
Uma jornada solidária que envolveu a comunidade, motivou relações de vizinhança e gerou muitas emoções, fazendo do «Frigorífico Solidário», um suporte alimentar para muitas famílias de diversos pontos dos concelhos do Barreiro e Moita.

Dá apoio a 40 famílias

Foi este movimento de solidariedade que lançou as raízes daquele que é, nos dias de hoje, o projecto – GRATITUDE. Uma ideia que procura dar força a duas vontades humanistas – Gratidão e Atitude.
O Projecto GRATITUDE quer ir mais longe, nos seus objectivos a médio prazo será constituir-se em associação, para criar condições de consolidação de uma actividade que actualmente dá apoio alimentar a 40 famílias, oriundas de diversos pontos da região, do Alto do Seixalinho, de Alhos Vedros, do Vale da Amoreira, da Baixa da Banheira, da Verderena, da Moita, do Lavradio, do Barreiro, abrangendo mais de 200 pessoas.
“Nas escolas, quando se apercebem que há crianças a passar fome contactam-nos e nós lá estamos a dar o nosso apoio”, sublinha Graciete Sousa, colaboradora do projecto, que integra um conjunto de 160 voluntários que apoiam o GRATITUDE.

Distribui mais de 1000 cabazes com produtos alimentares

O projecto GRATITUDE ao longo do seu primeiro ano de actividade distribuiu mais de 1000 cabazes, com produtos alimentares, para ajudar famílias carenciadas.
Os produtos distribuídos são fruto de doacções de particulares, de eventos que dinamizam para recolhas de bens. Recolhem produtos nos mercados, em restaurantes – “nós só queremos produtos, não queremos dinheiro”, refere Ana Cláudia.
O nosso funcionamento tem por base grupos de trabalho através dos quais se estabelecem as ligações com as famílias.
Para além das famílias que estão organizadas em diferentes grupos, por vezes, são distribuídos apoios, pontuais de emergência, a famílias que são direccionadas pelos serviços de Acção Social do Barreiro ou da Moita, ou pelas escolas.
“Todas as famílias que nós apoiamos têm um histórico. Nós acompanhamos e sabemos a história de cada uma delas. Conhecemos a realidade e as dificuldades das famílias. Avaliamos com regularidade a situação”, sublinha Ana Cláudia, administradora do projecto GRATITUDE.

Apoios na área da Saúde

Mas o projecto GRATITUDE não se fica pelos apoios alimentares, também intervém em apoios na área da Saúde, apoiando doentes que estão nos hospitais sozinhos sem famílias.
Através de um grupo criado no WhatsApp – As Guerreira – que envolve mais de 100 mulheres e outro – Jovens – que envolve mais de 60 jovens, recolhem-se produtos de higiene, para oferecer a essas pessoas que estão sós, quase que abandonadas.

Apoio a meninas de São Tomé e Principe

O GRATITUDE alargou a sua intervenção a São Tomé e Príncipe, recolhendo medicamentos, máscaras, álcool, água oxigenada, fraldas, leite em pó, que foram oferecidos a Hospitais daquele país, material transportado pelos navios da marinha portuguesa- “recentemente enviámos doze caixas”, referem com um sorrisos no olhar.
Recordam, igualmente, a produção de pensos, destinados às meninas de São Tomé, projecto que contou com o apoio dos alunos da Escola de Casquilhos, do Barreiro- “inicialmente o objectivo era produzir 400 pensos, nós atingimos os 800”, salientam.
Em São Tomé recebem esta apoio com emoção e festejam cantando – “Obrigado!”.
Também existe a pobreza emocional

Conversámos durante cerca de uma hora, escutámos histórias de vida, situações, a diversidade de apoios, as preocupações sociais do projecto GRATITUDE, que não se fica pelos apoios alimentares, dinamiza apoios na área da saúde, promove eventos de formação na área da saúde, dá apoio a crianças, ajuda estudantes que sonham com um curso universitário, dá a mão à pobreza envergonhada, proporciona passeios a crianças.
“Não há só pobreza financeira, também existe a pobreza emocional.” sublinha Ana Cláudia.
Recordou que há crianças no Vale da Amoreira, que nunca viram o Rio Tejo, nunca foram a Lisboa, que passam os dias, após a escola ficam a brincar nas ruas, por essa razão criámos um projecto para os apoiar. Todos os sábados, reúnem 15 meninos, em torno de um projecto, que está a decorrer no Centro de Formação Artístico – “eles aprendem a ter sonhos”.

O projecto está na rua, une a gratidão pela vida com a atitude que motiva a agir, caminharam e não desistem de sonhar. O próximo passo é criar uma associação. O projecto GATITUDE tem a sua sede no Centro Comercial Fontainhas

S.P.

27.07.2023 - 20:06

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.