reportagem

Alcochete – Conferência «Impactos nos Ecossistemas e Atividades do Tejo»
Despoluição do estuário do Tejo é uma referência mundial

Alcochete – Conferência «Impactos nos Ecossistemas e Atividades do Tejo»<br />
Despoluição do estuário do Tejo é uma referência mundial “A despoluição do estuário do Tejo, em particular, é uma referência mundial, num território que é ele todo de uma riqueza ambiental impar nas mais diversas perspetivas, é com uma enorme satisfação que assistimos hoje às mais diversas manifestações da evolução, e relativamente à qual, temos hoje instrumentos que permitem melhor compatibilizar com o desenvolvimento dos territórios.”, salientou Francisco Narciso, na conferência sobre «Impactos nos Ecossistemas e Atividades do Tejo».

No Forum Cultural de Alcochete, no âmbito do Ciclo de Conferências «20 anos a Tratar o Futuro da Região», promovidas pela SIMARSUL, com a finalidade de assinalar os 20 anos da empresa, realizou-se no dia 21 de maio, a Conferência tendo como tema : «Impactos nos Ecossistemas e Atividades do Tejo».

Fazer balanço e discutir as perspetivas futuras

No encerramento dos trabalhos, Francisco Narciso, Presidente do Conselho de Administração da SIMARSUL, salientou que “20 anos é uma idade bonita que não pode deixar de ser assinalada. Porque de grandes desafios climáticos e outros todos falamos, este momento tem que ser não apenas de falar do percurso e do balanço onde chegámos, mas também, e principalmente, do que estamos a fazer por um futuro melhor, sustentável, para o território“.
Recordou que estas conferências foram a opção assumida para “em parceria com os municípios”, ouvindo as populações servidas, os municípios, as instituições, academia, os promotores de atividades económicas e comunicação social, fazer um balanço de um percurso e, ao mesmo tempo “projectar e discutir as perspetivas futuras”.

Preservação do ambiente e da saúde pública

O presidente da SIMARSUL salientou a importância de no futuro existirem “comunidades mais informadas e ativas em defesa da preservação do ambiente e da saúde pública, mas também em saber responder às situações de crise que vamos continuar a enfrentar”.
“Indiscutivelmente, o sucesso inegável dos progressos obtidos na melhoria da saúde pública, do bem-estar das populações e do desenvolvimento, competitividade e sustentabilidade do nosso território, hoje tão evidentes quando observamos atentamente as linhas e massas de água, é um desafio constante”, acrescentou.
“Sim, é um desafio constante, não só porque o baixar a guarda pode deixar tudo a perder”, sublinhou Francisco narciso.

Fornecimento de água para reutilização

Entre outros temas que referiu, destacou que “a segurança hídrica também faz parte da agenda da nossa atividade”, assim como “a produção e o fornecimento de água para reutilização é já hoje uma atividade principal, e o destino a dar anualmente a 30 hm3, para um território que capta anualmente 50 hm3 para consumo urbano, é do interesse de todos.”

Monitorização do impacto nos ecossistemas

O Presidente da SIMARSUL, divulgou que está e marcha a “iniciativa inovadora de monitorização do impacto nos ecossistemas, para que o nosso compromisso seja mais acompanhado no sentido do perpetuar, ou a continuidade da parceria com a Águas do Tejo Atlântico para a monitorização e modelação do estuário do Tejo, para também apoiar decisões futuras, como a revisão da Diretiva das Águas Residuais Urbanas, e também melhor garantirmos que perdura este projeto reconhecido em termos mundiais, e um dos principais cartões de apresentação da intervenção do Grupo Águas de Portugal que assinala 30 anos “

Dar visibilidade ao trabalho conjunto de décadas

Sobre o ciclo de conferências, Francisco Narciso, destacou que as mesmas permitem evidenciar “ a importância das parcerias alargadas, num momento em que é particularmente evidente o reforço do individualismo”, “o diálogo com todos os stakeholders”, e, “a importância de ouvirmos as populações, quando os seus anseios e preocupações por vezes não são adequadamente percecionados”.
Recordou que depois do Barreiro e do Seixal, esta foi a 3.ª Conferência de um conjunto de 8 que serão organizadas, em conjunto com cada um dos municípios, para dar visibilidade acrescida do trabalho conjunto de décadas de uma grande parceria.

Despoluição do estuário do Tejo é uma referência mundial

“A despoluição do estuário do Tejo, em particular, é uma referência mundial, num território que é ele todo de uma riqueza ambiental impar nas mais diversas perspetivas, é com uma enorme satisfação que assistimos hoje às mais diversas manifestações da evolução, e relativamente à qual, temos hoje instrumentos que permitem melhor compatibilizar com o desenvolvimento dos territórios”, disse o Presidente do Conselho de Administração da SIMARSUL.

Acelerar a economia circular da água

“No momento em que o Grupo Águas de Portugal assinala os seus 30 anos e a SIMARSUL 20 anos, fica mais uma vez evidente, que fazemos parte de uma história que muito contribuiu para alterar o panorama do desempenho ambiental no nosso país, como estamos muito comprometidos com o futuro, acelerando a economia circular da água e ação pelo clima, ambições que concretizam o nosso propósito de fazer a diferença na vida das pessoas, incentivando a inovação em prol de um futuro mais sustentável. Por isso o nosso lema Ontem e Hoje a Tratar o Futuro.”, afirmou.

24.05.2024 - 13:24

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.