reportagem

Setúbal - Azeitão
“Festa de Verão” na Quinta da Bacalhôa
“Para juntar todos as pessoas que trabalham comigo”

Setúbal - Azeitão <br>
“Festa de Verão” na Quinta da Bacalhôa <br>
“Para juntar todos as pessoas que trabalham comigo” No final da tarde de ontem realizou-se, na Quinta da Bassaqueira, a já célebre “Festa de Verão da Bacalhôa, Vinhos de Portugal”. O comendador Joe Berardo abriu as portas da sede da sua empresa para: “juntar amigos e todas as pessoas que trabalham comigo, desde na agricultura”.

Um prémio que todos os anos gosta de agraciar aos trabalhadores da empresa. Numa festa que juntou mais de mil pessoas, estavam presentes figuras públicas desde o mundo da moda, do futebol ou da televisão.

“Não é viver no passado mas não nos podemos esquecer das nossas raízes”

O professor José Hermano Saraiva e Dom Duarte de Bragança abriram as hostes discursivas no que foi o momento de inaugurar a exposição iconográfica dedicada a Catarina de Bragança, princesa de Portugal e rainha de Inglaterra. Um património iconográfico e documental composto por peças da época de uma figura tão emblemática que introduziu o hábito do chá como bebida social na Inglaterra, “um grande tesouro da história portuguesa”, considerou o professor.
Uma mostra, inédita em Portugal que constitui uma homenagem a favor de uma rainha que Joe Berardo diz ter sido “maltratada há pouco tempo na América”. Depois de ter sido recusada a oferta de uma estátua da rainha a ser erigida em Queens, nos Estados Unidos da América em 1988, tendo a comunidade afro-americana se manifestado contra, alegando que Catarina de Bragança estaria implicada no tráfico de escravos no séc. XVII, questão que Joe Berardo considera ser uma má interpretação, alegando “esta rainha depois de ser viúva dedicou-se parte da sua fortuna a comprar escravos e a libertá-los”. Diz não ser esta tanto uma exposição do coração mas mais uma exposição histórica, considerando importante não deixar cair no esquecimento os tempos de então: “Não é viver no passado mas não nos podemos esquecer das nossas raízes”.
Para além da exposição e, no âmbito das comemorações dos 25 anos da Bacalhôa, Vinhos de Portugal, foi trabalhado um rótulo de nome “Catarina”.


A festa prosseguiu pela noite com um jantar convívio ao ar livre e com diversas actuações musicais. O fogo de artifício também marcou presença numa noite que se queria de festa e em que os convidados foram agraciados com uma garrafa de Vinho Tinto Mesa, o Dupla 2006, com vinho de duas regiões distintas, do Alentejo e da Península de Setúbal

Andreia Lopes Gonçalves

29.6.2007 - 16:50

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.