Conta Loios

moldura

Centro Hospitalar Barreiro Montijo
Manhã de Trabalho da Pediatria

Centro Hospitalar Barreiro Montijo <br />
Manhã de Trabalho da PediatriaO Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar Barreiro Montijo, em conjunto com o ACES Arco Ribeirinho, realizou mais uma Manhã de Trabalho, que teve como principais objetivos a melhoria da articulação entre a prestação de cuidados de saúde primários e cuidados hospitalares no âmbito da saúde da criança e do adolescente.

O Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM), em conjunto com o ACES Arco Ribeirinho, realizou mais uma Manhã de Trabalho, no passado dia 31 de maio, no âmbito do plano de atividades da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) Arco Ribeirinho. A sessão contou com a presença de cerca de 70 participantes entre profissionais de saúde do CHBM e do ACES Arco Ribeirinho.

Este encontro teve como principais objetivos a melhoria da articulação entre a prestação de cuidados de saúde primários e cuidados hospitalares no âmbito da saúde da criança e do adolescente para promover a criação de folhetos informativos a disponibilizar aos utentes e familiares nas consultas de saúde infantil (nos centros de saúde) e nas consultas de especialidade hospitalar.

Ao longo da manhã foram abordadas várias temáticas de interesse para as duas Instituições, nomeadamente as normas da Direção-Geral da Saúde sobre a febre em idade pediátrica e sobre doença inflamatória crónica das vias respiratórias como a Asma.

Houve ainda oportunidade para abordar a temática dos utilizadores frequentes que ocorrem ao Serviço de Urgência Pediátrica do CHBM, uma problemática que requer grande articulação entre os cuidados primários e os cuidados hospitalares, uma vez que a maioria dos utentes que são observados não têm critérios de gravidade clínica (triados com a cor verde – não urgentes) e recorrem repetidamente à Urgência ao longo do ano sem procurarem prioritariamente os Cuidados de Saúde Primários. Do estudo elaborado pelo CHBM, com base nos utentes muito frequentes do ano 2018, apurou-se que 85% dos utentes tem médico de medicina geral e familiar e 47% dos utentes está inscrito numa Unidade de Saúde Familiar, pelo que o trabalho de integração e de articulação entre instituições poderá promover uma utilização mais adequada dos recursos do Serviço Nacional de Saúde, reduzindo o afluxo às urgências hospitalares.

13.06.2019 - 10:28

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.