Conta Loios

moldura

Palmela - Grupo de teatro ATA - Acção Teatral Artimanha
Estreia «Sonho de Uma Noite de Verão» de William Shakespeare

Palmela - Grupo de teatro ATA - Acção Teatral Artimanha<br />
Estreia «Sonho de Uma Noite de Verão» de William Shakespeare O Artimanha vai estrear uma nova produção "Sonho de Uma Noite de Verão" de William Shakespeare com adaptação e encenação de Óscar Silva no dia 3 de Julho.

O espectáculo é ao AR LIVRE no páteo caramelo, e serão respeitadas todas as normas de segurança instituídas pela DGS.
O nº de espectadores será muito reduzido, pois cumprimos a distância regulamentar de 2mt..
O público terá à entrada e saída gel desinfectante para as mãos. Todas as cadeiras e espaço estarão desinfectadas para cada sessão e todo o staff do ATA usará máscara.

SINOPSE

Este “Sonho de uma Noite de Verão” é uma adaptação livre do texto original de William Shakespeare que desafia o ATA a marcar presença no seu espaço, o Páteo Caramelo. Nos meses de estio, convidamos os espetadores para uma viagem alucinante pelo arraial do amor. Nesta algazarra teatral feita à medida dos deuses e dos homens, encontramos: uma boda de uma duquesa, uma trapalhona trupe de teatro, fadinhas e fadões e amantes atenienses. E entre rissóis de camarão e burros que falam, é servida música made in Brasil para mostrar que os sonhos não existem apenas quando estamos a dormir, mas que se transfiguram quando estamos juntos sob o luar.

“Sonho meu,
vai buscar quem mora longe,
sonho meu.”

Sonhar em grupo é o que mantém o Artimanha vivo mas também esta magnífica equipa que mostra toda a sua resiliência ao continuar a fazer teatro. Agora, depois destes tempos de isolamento, é preciso voltar a estar juntos e ouvir as vozes dos que estão à nossa volta. Assim, os espetadores, podem também partilhar com os atores o momento irrepetível de conter as lágrimas por não saberem se é para rir ou para chorar. O teatro é isso mesmo, alternadamente uma coisa e outra, ora se dá, ora se esconde. Beija acintosamente o público, para depois recuar ao palco e fazer-se difícil enquanto nos conta uma história. “O samba que mexe com o corpo da gente” deixa o corpo em estado de graça e este, sem medo, declara-se sucessivamente àquele que chega perto. Depois o espetáculo acaba e todos se reconhecem, e os que partiram, olham do alto e conspiram para que os que cá estão possam amanhã voltar a tentar e, quem sabe, um dia acertar.
Há coisas que vão e vêm, mas certos amores são para sempre. Esta é a minha singela dedicatória ao corpo que falta. Tudo isto só faz sentido porque sei que a sua alma estará sempre aqui para celebrar o teatro e o amor. Como diz a música: “Morre o homem, fica a fama. Eu quero morrer (…) na cadência bonita do samba.”
Obrigado meu amor Rui Guerreiro.

Óscar Silva.

Ficha Técnica:

Encenação e dramaturgia: Óscar Silva

Intérpretes: Ana Guerreiro; Beatriz Lopes; Beatriz Soares; Bruno Gomes; Catarina Carapeta; Cidália Teixeira; Débora Meseiro; Elisabete Silva; Filipa Dias; Guilherme Fernandes ; Ilda Silva; Maria Teresa; Nádia Diniz; Paulo Bórgia; Rafaela Cruz; Simão Monteiro e Sofia Nunes.
Cantores: Cidália Teixeira; João Baptista; Paulo Bórgia e Rafaela Cruz.
Músicos: Ana Machado; Cristino; Jorge Santos; José Negreiros; Rogério Parreira; Paulo Bórgia; Paulo Toledo; Rafaela Martins; Sofia Negreiros e Tiago Cruz
~
Cenografia e figurinos: Célia Machado

Desenho de luz: Rui Rodrigues

Desenho de som: António Graça

Operação técnica: João Costa

Agradecimentos: Assoc. Festas Populares do Pinhal Novo; Balha Ca Carroça; Bardoada - O Grupo do Sarrafo; Carla Prego; Carolina Ramalho; Fátima Concha; Inês Cavaco; Maria Beatriz Cabaço; Maria Teresa Pinto; Mário Moutinho; Miguel Ferro; Rafael Meseiro; Ricardo B. Marques; Roseta – Loja de Música; Sara Masqueiro, Sergii Slobodian; Teatro TELA.


26.06.2020 - 18:06

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.