Conta Loios

moldura

Crime Patrimonial e Ambiental em Alburrica
Em 4 anos a Cmara Municipal do Barreiro arrasou 2 Moinhos de Mar e destruiu o sapal de uma caldeira

Crime Patrimonial e Ambiental em Alburrica<br />
Em 4 anos a Cmara Municipal do Barreiro arrasou 2 Moinhos de Mar e destruiu o  sapal de uma caldeira<br />
Moinho de Mar Grande j no existe, foi arrasado como o Pequeno, tambm j o tinha sido, pela Cmara Municipal do Barreiro. A riqueza cultural/identitria/econmica deste bem patrimonial de arqueologia industrial morreu!

E como do ver que nada sobrou nem paredes, nem arcadas, nem mesmo a estacaria sobre a qual o moinho se encontrava construdo, tal como acontece com a Lisboa Pombalina!

No se percebe esta opo pela destruio, quando especialistas afirmam que os moinhos so importantes no s para o Barreiro como para todo o Esturio do Tejo. So to importantes nossa escala, como o Coliseu para Roma, e apesar de ter partes em runa, nunca passou pela cabea de ningum, em Itlia, arras-las para fazer paredes novas.

E, mesmo que possam fazer um edifcio igual, coisa que no corresponde realidade, basta vermos o projecto e a memria descritiva, para a UNESCO este antigo monumento j no ter o valor patrimonial que possua, mesmo em runas.

Esqueceram-se que existem regras para o restauro e conservao deste tipo de patrimnio e paisagem industrial, mostrando desconhecer as boas prticas plasmadas em diversos documentos nacionais e internacionais. Esqueceram-se que no se pode actuar ignorando a importncia do bem patrimonial a conservar e a paisagem em que se inscreve e ajudou a moldar , como o caso de Alburrica. Esqueceram-se que antes de tocar no Moinho Grande era necessrio um conjunto multidisciplinar de aces a desenvolver : uma investigao histrica, um levantamento arqueolgico, uma interpretao mecnica, um levantamento do estado de conservao do patrimnio industrial, etc...

Alguns diro que estavam em runa, que o local estava abandonado, que era tempo de apagar estas cicatrizes. Porm, Alburrica e o seu patrimnio um caso muito especial na rea Metropolitana de Lisboa, enquanto Paisagem Cultural ou Paisagem Humana Evolutiva, (UNESCO) por isso a sua classificao como Stio de Interesse Municipal para preservao moageira, ambiental e paisagstica. Mas, tambm a sua classificao ambiental que a integra na Rede Ecolgica Nacional. Por exemplo as caldeiras dos moinhos de mar so sapais e portanto zonas prioritrias de restauro por razes ecolgicas e ambientais. E Assim, do ponto de vista ambiental, outro crime foi cometido. A caldeira est seca e o seu ecossistema morto. Como possvel receber dois milhes de euros de fundo comunitrios, para destruir um sapal? Gostaramos de ter resposta para partilhar convosco, mas at hoje, nenhum organismo respondeu s nossas interrogaes.

Antnio Nabais designava estes engenhos de moagem de mar como monumentos de arqueologia industrial, por eles passou parte significativa da nossa identidade que necessrio conhecer e reconhecer para podermos continuar a construir o nosso futuro como pessoas de corpo inteiro, coesas socialmente, inovadoras e no seres desenraizados e alienados

Associao Barreiro Patrimnio Memria e Futuro

12.01.2022 - 16:21

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notcias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright 2002-2022 Todos os direitos reservados.