Conta Loios

moldura

Associação Barreiro Património Memória e Futuro
Exposição e Colóquio sobre o Património Ferroviário do Barreiro

Associação Barreiro Património Memória e Futuro <br />
Exposição e Colóquio sobre o Património Ferroviário do Barreiro A Associação Barreiro Património Memória e Futuro realiza, com o apoio do Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, no próximo dia 21 de Maio, pelas 15h30, na Casa dos Sindicados, rua Almirante Reis nº 68 (conhecida como casa dos ferroviários ou Cinema dos Ferroviário), a inauguração da Exposição e Colóquio sobre o Património Ferroviário do Barreiro, que contará com a participação de Deolinda Folgado (especialista em património Industrial e cultural).

Esta exposição sobre a história e o património ferroviário do Barreiro, com o espólio da ABPMF, é composta por vários materiais/peças que contam a história do Caminho-de-ferro no Barreiro e traduzem parte da identidade da cidade do Barreiro e, como tal, parcelas da memória dos Barreirenses. A preservação destes materiais tem como finalidade manter presente esta identidade colectiva e salvaguardar a memória ferroviária.

O comboio assumiu, a partir do Barreiro, um papel preponderante no desenvolvimento económico e social de toda a região sul e do próprio país. O transporte de passageiros, ainda hoje, representa um meio de transporte urbano de importância relevante, na ligação do Barreiro à capital do Distrito, Setúbal.
Assim, defendemos que a actividade ferroviária, enquanto pólo gerador de emprego e dinamismo social, deve continuar e ser reforçada no Barreiro. Só desse modo pode contribuir para a riqueza e desenvolvimento integrado da região e do país.

Estas também são razões que nos levam a considerar o Património Ferroviário do Barreiro como um elemento estratégico de desenvolvimento económico, social e cultural que pode, decisivamente, concorrer, para manter vivo um povo, uma cidade, uma região. Defendemos, portanto, que a salvaguarda da memória e da história representada por este conjunto, entre edificado e não edificado, contribui para a atractividade do Barreiro em termos turísticos e de como, através dele, se pode contar a história completa desta actividade na região e no país.

Uma boa forma de preservar o património construído, mantendo-o longe de ambições imediatistas e/ou da gula de interesses económicos especulativos, é conseguir a sua classificação patrimonial com valor nacional.
Reputamos de urgente, dado ao avançado estado de degradação, a classificação pendente na Direcção Geral do Património Cultural, da Estação Sul e Sueste do Barreiro-Mar, também conhecida por Estação Barreiro-Mar, primeira estação multimodal no país. Oficinas Ferroviárias, que foram a primeira e mais antiga estação no seu estilo em Portugal (1861). Rotunda e Cocheira das Máquinas. Bairro Ferroviário. Material Circulante primordial (pedido adicionado em 2016).

O processo de classificação encontra-se na fase Em Vias de Classificação, por publicação do anúncio de abertura em DR n.º 30, 2.ª série, de 12.02.2018. Tinha o acordo do executivo anterior, quanto à posição do actual executivo nada se sabe, mas apelamos a que tome posição a favor de uma rápida classificação, mais que urgente.

Mas CP Comboios de Portugal intentou um recurso hierárquico na Direcção Geral do Património Cultural (DGPC), o qual foi indeferido e, na sequência do mesmo, moveu uma acção administrativa em tribunal, questionando a legalidade da classificação do Património Ferroviário do Barreiro.

Associação Barreiro Património Memória e Futuro

16.05.2022 - 08:01

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.