moldura

Novo Aeroporto de Lisboa Luís de Camões em Alcochete
Vitória da persistência de todos os que têm batido pela sua construção

Novo Aeroporto de Lisboa Luís de Camões em Alcochete<br />
Vitória da persistência de todos os que têm batido pela sua construção O Novo Aeroporto de Lisboa, Luís de Camões, é uma vitória da persistência dos portugueses e de todos os que têm batido pela sua construção.
A decisão, ontem anunciada pelo governo, de aceitar as conclusões do Relatório Final da Comissão Técnica Independente confirma e vem ao encontro do essencial que a Plataforma Cívica sempre defendeu desde 2018, data da sua constituição: Portugal e Lisboa precisam mesmo de um novo, moderno e duradouro Aeroporto Internacional.

O anúncio feito, que compromete a solução de substituição integral do Aeroporto Humberto Delgado pelo novo Aeroporto Luís de Camões constitui, também, uma esperança para centenas de milhares de cidadãos da região de Lisboa que, a esta data, são credores de um melhor bem-estar que lhes foi retirado ao longo de décadas.
Para estes nossos concidadãos trata-se, igualmente, de uma significativa vitória com profundos efeitos futuros no domínio da sua saúde, segurança e bem-estar.

Do que se trata, agora e nos tempos mais próximos, é de dar execução prática à decisão política por forma a não permitir eternizar o AHD e dar início aos trabalhos que envolvem a construção do Novo Aeroporto Luís de Camões.
Ainda que tardia (passaram 16 anos sobre a decisão de construir o NAL-Resolução do Conselho de Ministros 85/2008) a decisão ainda vem a horas.

Parece, também, ficado claro que o financiamento do Aeroporto Luís de Camões será assegurado pelos meios financeiros libertados no âmbito da Concessão e não pelo erário público de forma ainda que indirecta. Caem assim por terra as narrativas sobre os elevados custos para os contribuintes, narrativas que alguns ainda pretendem manter.

Igualmente importante é o anúncio da construção da Terceira Travessia do Tejo, Barreiro-Chelas, que a Plataforma Cívica sempre defendeu. Mais, fica claro que essa infraestrutura, determinante para a coesão territorial e a mobilidade na Região de Lisboa, não está dependente nem condiciona, como nunca condicionou, a construção do novo aeroporto.
A Plataforma Cívica saúda todas e todos os portugueses que se empenharam, desde a primeira hora, na defesa de um Novo Aeroporto ao invés de uma pretensa solução de remendo como seria o uso da BA6 para fins civis como sempre defendeu a multinacional VINCI.
Satisfeitos, mas vigilantes, não deixaremos de continuar a lutar pela concretização das decisões agora anunciadas.
Resistir compensa. É o que nos ocorre afirmar.

Portugal e os portugueses encontram, nestes anúncios e na sua luta, uma renovada esperança de que Portugal poderá ter um futuro onde a soberania não seja mera retórica.

Plataforma Civica BA6 Não
15 de maio de 2024

15.05.2024 - 12:08

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.